(11) 4142-5731 | sprayprocess@sprayprocess.com.br| Estrada do Itaqui, 711 - Jardim Nova Itapevi - Itapevi - SP - CEP: 06690-110

Aplicações

  • Alimentícia
    • Aplicações

      Aromas, Cereais, Extratos, Café (preto, verde, mate)

      Hidrolizados de proteínas

      Hortaliças em pó (cenoura, beterraba, espinafre, alcachofra, feijão e outros)

      Frutas em pó com carga

      Produtos derivados de milho e mandioca, amido, maltodextrinas

      Produtos derivados de soja, leite de soja integral, extrato solúvel, proteína isolada de soja

      Leite e derivados de leite

      Leveduras de cerveja, cana, etc

      Gordura em pó

      Corantes naturais (Bixina de urucum, antocianinas de uva)

      Corantes sintéticos

      Derivados marinhos

      Ovos em pó, integral, gema e clara (fazer ancora com todo o explicativo de ovo em pó)

      OBTENÇAO DE OVO INTEGRAL, GEMA, CLARA , CLARA ADITIVADA EM PÓ

      Nossos equipamentos são indicados para evaporação de água, portanto a especificação do modelo adequado se processara de acordo com esse parâmetro. Para tanto, verificar em: Especificações Técnicas de Plantas Spray Dryers (link) o modelo que mais se enquadra no seu projeto, levando em consideração a quantidade de água evaporada em função da temperatura de entrada e de saída adequada ao produto a ser secado.

      Exemplo:

      Produto: Ovo integral com 23% de sólidos. Água: 77% TE = 220°C e TS = 90°C

      Equipamento: DR-15.

      Evaporação de 74 l/h de água.

      A produção será de mais ou menos 23 kg/h de ovo em pó.

      Equipamentos acessórios para produção de ovo em pó:

      - Um equipamento lavador de ovos.

      - Uma maquina para quebrar ovos.

      - Um transportador de cascas.

      - Um conjunto de equipamentos a serem utilizados para deposito, homogeneização, desglucosamento, etc.

      - Um pasteurizador.

      - Um secador por atomização (Spray Dryer) SPRAY PROCESS.

      - O espaço necessário para todo esse equipamento é de aproximadamente 140 m².

      Vantagens da produção de ovo em pó:

      - O aproveitamento da produção será de praticamente 100%.

      - Alem dos ovos considerados normais para a comercialização, serão aproveitados todos aqueles sem valor comercial, ou seja, os pequenos, os de inicio de postura e os que venham a ocorrer durante o período normal de postura, assim como os quebrados, etc.

      - Pode-se produzir o ano todo, mesmo em ocasiões em que o mercado do ovo comercializado “in natura” não forem propicias.

      - Pode-se produzir ovo integral ou gema e clara separadamente com as correspondentes vantagens de preço.

      - Pode-se armazenar ovo em pó por seis meses ou mais, simplesmente em lugar fresco e escuro.

      - Podem-se armazenar praticamente dez vezes mais ovos em pó no mesmo espaço que ocupa o ovo natural.

      Observações:

      - O forno indireto é indicado para que os gases de combustão não entrem em contato com o produto, condição praticamente obrigatória quando se trata de produto para exportação.

      - O atomizador auxiliar proporciona continuar com a maquina funcionando quando houver necessidade de manutenção desta peça.

      - Lavador de gases: onde a legislação não permite qualquer poluição, o lavador retem os sólidos finos que eventualmente sairiam pela chaminé, liberando somente os vapores de água e gases de combustão.

  • Farmacêutica
    • Aplicações

      Sais orgânicos

      Sais inorgânicos

      Fármacos em geral

      Vacinas

      Extratos de plantas medicinais

      Extratos de plantas nutracêuticos, etc

  • Química
    • Aplicações

      Sais orgânicos

      Sais inorgânicos

      Detergentes em geral

      Plásticos

      Resinas

      Catalisadores e Corantes

      Fertilizantes

      Defensivos em geral

      Taninos naturais e sintéticos, etc,

  • Cerâmica
    • Aplicações

      Produtos de cerâmica

      Caulim

      Pigmentos para cerâmica

  • Agroindústria
    • Aplicações

      Produtos para Feed & Food

      Adubos orgânicos

      Concentração dos resíduos orgânicos

      Subprodutos de matadouro:

      PRODUTOS A SEREM SECOS EM EQUIPAMENTOS SPRAY DRYERS PARTINDO DE SUBPRODUTOS DE MATANÇA BOVINA, SUINA, CAPRINA, OVINA, AVES E PEIXES.

      1. Aminoácidos totais em pó.

      2. Fígado em pó.

      3. Extrato de fígado em pó.

      4. Peptona de fígado em pó

      5. Peptona de restos de carne em pó.

      6. Bílis (tauro cólico) em pó.

      7. Sangue integral em pó.

      8. Hemoglobina e Plasma em pó.

      1. AMINOACIDOS TOTAIS EM PÓ.

      Constituídos por misturas previamente calculadas de:

      Coração.

      Pulmão (Bofe).

      Estômago (Bucho).

      Baço.

      Fígado.

      Entranhas.

      Amídalas, etc.

      Esses subprodutos moídos e passados em moinhos coloidais, são secados diretamente pelo Equipamento Spray Dryer. Todos esses subprodutos podem também ser hidrolisados e igualmente secados.

      Contêm todos os aminoácidos conhecidos e suas outras propriedades em forma equilibrada.

      2. FÍGADO EM PÓ.

      Os fígados frescos são moídos, passando também por um moinho coloidal para em seguida ser transformado em pó pelo Equipamento Spray Dryer.

      3. EXTRATO DE FÍGADO EM PÓ.

      O fígado moído é misturado com água e levado ao ponto isoelétrico (pH 5 até 6). Posteriormente a mescla é fervida até que a albumina se precipite (aproximadamente 80 0 C).

      Após 30 minutos é filtrada e então concentrada até aproximadamente 30% através de um evaporador (a vácuo) para se obter a concentração adequada e ser processado pelo Equipamento Spray Dryer.

      4. PEPTONA DE FÍGADO EM PÓ.

      O fígado é picado e em seguida passado a um tanque de fundo duplo, de aço inox, com a quantidade necessária de água. Faz-se então a hidrólise com ácidos ou enzimas, a uma temperatura não superior a 40 0C ou 45 0C. Uma vez terminada a digestão, eleva-se a temperatura para desativar as enzimas, e procede-se então a filtragem através de filtro-prensa ou separadora centrífuga. Após a concentração final, diretamente a passagem pelo Equipamento Spray Dryer obtendo-se o pó.

      5. PEPTONA DE RESTOS DE CARNE EM PÓ.

      Os restos de carne deverão ser digeridos em um tanque de fundo duplo durante 12 ou 14 horas e revolvidos através de um agitador lento, a uma temperatura de 40 0C a 45 0C. A carne deve estar livre de gordura, sebo e tendões, sendo previamente moída. Faz-se a digestão com ácido clorídrico e pepsina pura e depois se neutraliza com carbonato sódico. Filtra-se, concentra-se para finalmente passar pelo Equipamento Spray Dryer. Também se pode usar o Pâncreas, aquecendo o produto a não mais de 54 0C durante 6 horas, agitando intermitentemente. Filtra-se e evapora-se a solução a não mais que 60 0C em vácuo até se obter a concentração necessária para se passar pelo Equipamento Spray Dryer.

      Quanto mais fraca e dura, a carne utilizada, maior o rendimento – (13% a 14%).

      O rendimento de carne mole não supera 10% de peptona.

      6. BILIS (ácido tauro cólico) EM PÓ.

      Pode-se processar a bílis retirada dos animais no matadouro diretamente no equipamento Spray Dryer, ou pode-se submetê-la a um tratamento prévio que consiste em tratar a bílis fresca com igual volume de álcool e deixar repousar por 12 horas; filtrar e aquecer para eliminar o álcool; concentrar (a não mais que 25% de sólidos) e passar pelo Equipamento Spray Dryer.

      7. SANGUE INTEGRAL EM PÓ.

      O equipamento Spray Dryer utilizado é do tipo standard e se envasa diretamente em sacos de 15 kg de polietileno e papel, na saída do ciclone. No caso de exigências sanitárias, pode-se fazer uma sala de embalagem, ligada ao depósito por uma espécie de janela, com uma canaleta inclinada por onde se pode deslocar o produto acabado/ensacado. Trabalha-se igual tanto para sangue de bovinos quanto para de suínos, caprinos, ovinos, aves (frangos, patos, perus, etc.)

      O rendimento em sangue líquido aproveitável é aproximadamente de 3% do peso do animal, ou seja, em bovinos de 450 kg rende de 12 a16 litros por animal.

      O sangue integral contém 18% de sólidos. Esse sangue integral separado dá 60% de Plasma com 8% de sólidos, e 40% de Hemoglobina com 33% de sólidos.

      Para cada animal, em média de 450 kg teremos:

      Sangue integral 2,5 kg de pó

      Plasma 0,7 kg de pó

      Hemoglobina 1,8 kg de pó

      As temperaturas de secagem usualmente utilizadas são:

      Sangue Integral e/ ou Hemoglobina TE: 350°C e TS: 90°C

      Plasma TE: 220°C e TS: 80°C

      8. ANALISE DE SANGUE INTEGRAL, PLASMA E HEMOGLOBINA SECADOS POR SPRAY DRYER

      Produto % Proteínas | % Cinzas % | Umidade

      Sangue Integral | 80 a 83 | 2 a 3 4 a 8

      Plasma | 90 a 92 | 2 4 a 6

      Hemoglobina | 70 a 75 | 3 a 4 4 a 7

      Para dados de consumo e tamanhos dos equipamentos, consultar especificações técnicas de Plantas Spray Dryer